Introdução

Actualmente,  e devido ao aparecimento de imensos estilos musicais, a formalização que era efectuada ao estudar um género musical desapareceu (tal como foi feita ao longo dos séculos) ou é muito deficiente. Ao contrário do que aconteceu durante séculos, os estilos são contemporâneos e em grande número e, embora exista imensa informação, esta encontra-se muito dispersa e muitas das vezes sem qualquer informação sobre as referências bibliográficas consultadas, deixando se ser, portanto, informação credível e fidedigna.
No caso deste trabalho, proponho o estudo do trance psicadélico, quanto à sua evolução histórica, características estéticas, cultura e diversificação no panorama actual, apresentando exemplos, diagramas e informação concreta e objectiva. Espero, deste modo, contribuir para uma melhor apreensão do que são as características deste estilo musical,  que por todo o mundo tem imensos “seguidores” da sua cultura.
De forma a conseguir expor as informações de maneira correcta,  a estrutura apresentada é a seguinte: história, estética e cultura.
A primeira parte inicia-se com uma breve contextualização histórica e social do movimento hippie e psicadélico em S. Francisco e no mundo e as migrações para Índia. Segue-se uma descrição da cena musical em Goa nos anos 70,  as primeiras festas e o aparecimento dos estilos musicais electrónicos, assim como o choque de culturas que este provocou e, por fim, o colapso da cena original. É também exposta a temática da expansão do Goa trance para outros países na Europa e para Israel, a miscigenação com outros estilos musicais emergentes, aparecimento do trance psicadélico e o panorama actual.
O segundo elemento da estrutura (estética) contêm temáticas como a divisão em subgéneros do trance psicadélico e as características estéticas de cada um desses subgéneros e uma exposição de artistas, editoras e álbuns de referência em cada um deles.  Dentro da apresentação do sub-estilo, existe uma análise a duas músicas que se inserem no mesmo.