Caros Associados

Para os colegas em solidão sem possibilidades de ter alguém que os acompanhe.

Para os colegas que se encontram doentes e acamados em casa, num lar ou hospital.

Para os colegas que apenas pedem que um colega fale com eles uma vez por semana.

Para os colegas em desespero pela falta de recursos na assistência.

Para as viúvas e viúvos que suportam no silêncio o silêncio da vida.

Para os colegas em luto.

Que este tempo de Natal seja, para todos, a semente de uma nova esperança

num Ano Novo que se pretende, por justiça,

menos desigual.

A Direcção